ambulantes

PCR diz que prioridade é o ordenamento urbano

Meta até o final do ano é avançar com ações no centro do Recife

 

por Adriana Cavalcante | sex, 08/03/2012 - 04:51

Apesar da pesquisa do Instituto Maurício de Nassau revelar que 51% dos recifenses aprovam o comércio ambulante, a secretária municipal de Controle e Desenvolvimento Urbano e Obras, Maria De Biase, afirma que "é hora da expansão formal". De acordo com a gestora, o resultado da pesquisa não causa surpresa porque a população reconhece nesse comércio o fácil acesso, mas ressalta que a prioridade da Prefeitura é realizar o ordenamento, avançando ainda mais, até o final do ano, nas ações implantadas no centro do Recife.

No momento, o foco é o comércio informal em Casa Amarela, bairro localizado na Região Política Administrativa 3 (RPA3), que não reflete o grau de satisfação geral com esse comércio, segundo dados da própria pesquisa do Instituto. "Apesar da aprovação registrada pela pesquisa, sabemos que há lugares onde a população reclama da ocupação das calçadas e do lixo que se acumula na área. Essa é uma realidade que a gente convive", afirma.

A prioridade do reordenamento, de acordo com a secretária, é uma política traçada pela Prefeitura desde 2009, que inclui, ainda, uma atenção especial as áreas próximas a hospitais, escolas e mercados públicos. Há,ainda, o trabalho integrado com outras secretarias, a exemplo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, onde também por meio de parcerias com a iniciativa privada foi possível tirar da informalidade muitos desses trabalhadores, após um processo de capacitação. Maria De Biase só não soube especificar em números o resultado da ação.

Cadastrados - De acordo com dados da Secretaria, o Recife tem 3 mil ambulantes. Mas esses dados se referem, apenas, aos que atuam no centro do Recife. Nas outras RPAs da cidade, a Prefeitura não dispõe dos dados.

Para comentar é necessário efetuar o login no fomulario abaixo.



 

Copyright. 2012. ESPECIAL LEIAJÁ. Todos os direitos reservados.